elementos da projeção astral
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

4 elementos fundamentais na projeção astral

Se você deseja entender a saída do corpo consciente, leia esse artigo para compreender os 4 elementos fundamentais na projeção astral.

Para compreendermos viagem astral, o primeiro conceito fundamental são as dimensões.

Essa parte é tão importante que já aviso, se não entenderem ou ficarem com dúvidas, pesquisem ou me perguntem em meu grupo do Telegram, mas é muito importante que o conceito de dimensões fique claro, pois, sem isso nada daqui para frente vai fazer sentido.

Elemento 1 – Dimensões 

O primeiro ponto é que não existe separação entre físico e espiritual, todo universo é físico e espiritual ao mesmo tempo. A vida aqui na Terra é uma experiência espiritual dentro de uma realidade física e o mesmo ocorre nas outras dimensões.

Sei que essa pode ser uma ideia nebulosa ainda, mas já vamos entender o que muda fisicamente entre uma dimensão e outra.

cursos sobre espiritualidade projeção astral

Antes, alerto que vou usar o conhecimento que temos na Terra atualmente, mas certamente tudo pode ser entendido e explicado em níveis cada vez mais profundos. Se os nomes usados não forem os mesmos que estão habituados, entendam que são apenas nomes, não tenho a pretensão de desenvolver uma tese aqui.

Minha intenção é, mesmo com nossa visão limitada, facilitar o entendimento de como o universo funciona.

Dito isso, posso explicar que estamos na terceira dimensão ou dimensão física, chamada assim pelo alto nível de materialidade da energia, pois todas as dimensões são físicas.

Nessa dimensão os átomos vibram em um espectro específico de velocidade.

Passado esse espectro e vibrando mais rápido, o átomo vai para a dimensão energética, vibrando mais rápido novamente, vai para a dimensão astral, mais rápido, vai para a dimensão mental e assim sucessivamente.

Existem infinitas dimensões, pois tudo no Criador é infinito.

Estando na terceira dimensão temos acesso mais facilmente à quarta dimensão, também chamada de dimensão astral, porque ela é a dimensão mais perto da dimensão física em que estamos.

Mas um ponto importante é que não existe um contraste, por exemplo, não saímos da dimensão física e vamos totalmente para a dimensão astral, não é tão preto no branco.

Podemos imaginar as dimensões como o dial de um rádio. Vamos supor que nele podemos ir de zero à 200, então temos todos os intermediários entre o menor e o maior número.

Nesse exemplo, a dimensão física é o zero e a astral o 200, então há várias possibilidades intermediárias para se estar que não sejam uma realidade totalmente física ou totalmente astral.

Cada ponto no dial é um nível de vibração atômico, então ao sair do corpo podemos ir para a dimensão mais próxima nessa escala intermediária, que seria o 1 em nosso exemplo.

Desse modo, ainda teremos muito contato com a terceira dimensão, seremos capazes de ver nosso corpo e de interagir com as coisas que estão aqui.

Mas se em vez disso, formos para a frequência 15 no dial, que já é bem mais afastada do zero, ou seja, da dimensão totalmente física, a realidade vai começar a ser distorcida.

Ao ponto de que, se saímos do zero e vamos para o 50, toda a realidade muda, o quarto já não é mais o quarto, as coisas como conhecemos já não são mais como as conhecemos.

Avançando ainda mais no dial, podemos ir para uma cidade astral, uma cidade normal, com pessoas, com tecnologia, com tudo o que existe aqui, só que em outra dimensão.

Então tenham em mente que é uma escala, não é ou estou na dimensão física ou estou na astral, existem muitas possibilidades intermediárias só entre essas duas dimensões.

A projeção astral é igual as ondas de rádio, nós giramos o dial até achar a estação que queremos, mas há muitas intermediárias entre uma estação e outra.

E isso é possível porque somos feitos de frequência vibracional, somos um apanhado de partículas subatômicas, de quarks, de prótons e elétrons vibrando.

Logo, o nível que o seu ser vibrará é o nível da dimensão que ele vai estar. Quanto mais rápida essa vibração que o ser está, mais ele atinge dimensões de vibrações elevadas correspondentes.

Se vibramos 1, estamos na dimensão 1, se vibramos 2, estamos na dimensão 2, se vibramos 3, estamos na dimensão 3.

E esse processo é automático, imediatamente sintonizamos com a dimensão em que estamos vibrando.

Digo que é automático, pois ninguém no universo regula isso, é como a gravidade, como uma lei física que acontece de forma natural.

A frequência vibracional do nosso corpo, da nossa consciência, nos leva a dimensões correspondentes.

Entendida a primeira parte vamos avançar, pois até agora citei a dimensão física e a astral, mas há outras que são importantes para nosso estudo.

Segundo a categorização que uso aqui e em meus materiais, temos a dimensão física, a dimensão energética, a astral, a mental inferior e a mental superior. E em cada dimensão possuímos um corpo correspondente, sendo todos simultâneos.

A terceira dimensão (3D) ou dimensão física, é a dimensão de nosso corpo físico.

Imediatamente após ela temos a dimensão energética, mais sutil e que é a dimensão do corpo energético, uma cópia exata do corpo físico, porém puramente energia.

Lembra do dial? Estamos avançando em frequência por ele.

Seguindo, temos a dimensão astral, depois dela temos a dimensão mental inferior e depois a dimensão mental superior.

Acima da dimensão mental superior nosso cérebro não consegue interpretar racionalmente e linearmente o que experiência.

Algo importante sobre o corpo energético é que ele é a ponte entre a dimensão astral e a dimensão física, pois é ele que recebe as energias sutis da dimensão astral, como o chi e o prana, que serão absorvidos através dos chakras.

Os chakras estão no corpo energético e não no corpo físico, mas são eles que abastecem o corpo físico com energia vital.

Até agora, espero ter ficado perceptível que vivemos em um universo multidimensional, e não há nada de religioso, místico ou sobrenatural nisso.

Simplesmente é como o universo é, o modo como ele é feito.

Caso todas essas ideias sejam novas para você, pode ser muito para processar de uma vez, porque enquanto falo é só uma teoria, mas quando você praticar se tornará um conhecimento real.

Então, se duvida ou está descrente, te convido a dar-se o crédito de tentar e chegar aos próprios resultados e opiniões.

A verdade é que podemos andar pela vida e seguir nossa existência às cegas, na base da tentativa e erro ou podemos abrir nossa mente e andar pela existência sabendo um pouco mais.

Ainda não tudo, pois há limitações naturais a nós seres humanos, mas mais do que se nos mantermos em um mundo fechado.

E o único modo de sabermos, não é escutando o que eu ou qualquer outra pessoa diz, mas vivenciando.

Por isso, estude e pratique, torne esse conhecimento de abstrato e teórico em um conhecimento prático e real, e assim vivendo tudo que lhe for oferecido, passará a ter um conhecimento verdadeiro da realidade.

ELEMENTO 2 – CONSCIÊNCIA

Seguindo nos pontos fundamentais para compreendermos viagem astral, vamos falar sobre consciência.

Para isso, vamos fazer um exercício de imaginação, não porque não seja algo real, mas porque uso de uma linguagem limitada para explicar algo muito complexo.

Imagine que o Criador é tudo, toda a matéria, todos os átomos que existem no universo. Só que Ele tem a eternidade e precisa continuar expandindo, porque Ele sabe que a zona de conforto atrofia tudo.

Para continuar expandindo infinitamente Ele precisa ter novas experiências, por isso solta pequenas fagulhas Dele e cada fagulha dessa é uma consciência, é um pedacinho Dele que Ele soltou.

Essa consciência vai se conectar em todas as dimensões ao mesmo tempo, em cada corpo dimensional, ou seja, cada dimensão possui um corpo dimensional necessário ao ancoramento da consciência.

Quando ela, o Eu Sou, o Espírito Santo ou o nome que queiramos dar, se conecta na terceira dimensão em um corpo físico, cria um ego chamado, por exemplo, João.

Mas por que Ele criou esse ego chamado João? Para viver experiências e ver Ele mesmo de infinitos pontos de vista.

Essa consciência divina se conectou nesse corpo dimensional físico, nesse corpo humano, criou um ego através de um aparato psicológico e multidimensional, para viver as experiências possíveis a esse ego.

Desse modo Ele se conectou com tudo o que existe, Ele é folha, é ar, é mar, tudo individualizado, mas, ainda assim, uma gota do oceano é oceano, uma fagulha do fogo é fogo.

E Ele consegue fazer todo esse processo de individualização, porque como Criador sabe modificar os átomos e as moléculas, para assumirem a forma que Ele deseja e faz isso através da química, da biologia, da física e de tudo que existe.

Mas por que estou falando tudo isso se quero explicar viagem astral e não metafísica? Porque temos o corpo físico, mas esse corpo físico não é quem somos.

Claro, ele é um pedaço de nós enquanto estamos encarnados na Terra, mas a consciência é quem sai desse corpo físico, ela que é a constante.

A partir do momento que a consciência sai do corpo físico, as frequências energéticas dela mudam, ela tende a ir para o corpo astral e assim sucessivamente em todas as dimensões.

Porque é simplesmente uma questão de vibração da consciência, se ela está vibrando um pouco mais rápido, ela é atraída para o corpo astral.

Assim assumirá aquele corpo, como um exoesqueleto, claro, esse corpo possui as programações próprias dele, os sistemas fisiológicos, os sistemas energéticos, os sistemas de compreensão própria do mundo, mas a consciência continua intacta.

Então, quando fazemos a projeção astral é a consciência que sai do corpo físico e ancora no corpo astral.

E a consciência, com treino, pode cada vez mais fazer essas viagens dimensionais, isso porque ela está conectada a tudo.

Tanto que em estado de meditação profunda, sentimos que tudo é uma coisa só. Essa sensação nada mais é do que acessar a consciência. O ego e o corpo físico se sentem separados, mas a consciência é um com tudo, pois ela é o Criador e Ele é tudo.

Resumindo, a consciência se projeta do corpo físico e a partir do momento em que se projeta ela assume um outro corpo de acordo com a vibração em que está.

Ela utiliza os corpos de cada dimensão para ter experiências, para mandar informações para o Criador. Ela é como um cabo de energia que o Criador solta para receber informações de Si mesmo.

Como um primeiro exercício, sugiro que pensem sobre a grandiosidade disso. Pensem nesse ser que é tudo, absolutamente tudo que existe, que recebe e emite informações o tempo todo de todas as dimensões.

Imaginem a grandiosidade Dele, a capacidade consciencial Dele, algo muito além até da nossa capacidade de compreensão.

Para concluir, aconselho a encarar a projeção astral como uma aventura, uma viagem, uma descoberta, como uma oportunidade de ver o mundo ampliado.

Busque esquecer os medos e receios, o universo é como é, tudo o que podemos fazer é nos maravilhar com as belezas e nos abalarmos cada vez menos com os desafios.

ELEMENTO 3 – LUCIDEZ

Quando pergunto, você é lúcido? A maioria das pessoas responde que sim. Mas se eu pergunto, você está totalmente no presente? A resposta costuma ser diferente.

E embora inicialmente a relação entre as duas perguntas não fique clara, com a projeção astral aprendi que estão intimamente ligadas.

cursos sobre espiritualidade projeção astral

Por esse motivo vou falar aqui de Atenção Plena também, inclusive sugiro que se tiverem interesse em aprofundar o tema, busquem meu e-book ou os artigos gratuitos em meu blog.

Em meu ponto de vista, atenção plena ou mindfulness é a chave fundamental para termos uma vida tranquila e lúcida.

Pensando nos benefícios que a atenção plena pode trazer à projeção astral, sugiro que busquem transformar em hábito trazer a consciência para o momento presente.

Constantemente se perguntem: Onde estou agora? O que estou fazendo agora? A resposta vai ser óbvia para você, algo como, estou no quarto, estou lendo um livro, mas, mesmo assim, responda a si mesmo mentalmente.

Esse é um exercício de lucidez que irá se iniciar na sua vida diária e se estender às suas habilidades projetivas.

Muitas vezes em nosso dia a dia estamos com o corpo físico em um lugar, a mente em outro, geralmente no passado ou no futuro e a consciência ainda em um outro.

Mas quando estamos fora do corpo, o que vai determinar que consigamos controlar a experiência ou não é a lucidez.

Sair do corpo, todas as noites você o faz, ter consciência de que está fora do corpo, não é bem simples.

Quando estamos fora do corpo sem consciência parecemos um bêbado, andamos pela rua cambaleando, falamos coisas sem sentido, acreditamos que estamos vivendo um sonho, que nada daquilo existe, não temos controle nenhum.

Então, chegamos a seguinte constatação sobre lucidez: sair do corpo todo mundo sai, mas ter consciência fora do corpo não.

Por isso, afirmo que não estamos estudando para sair do corpo, isso fazemos todas as noites, estamos estudando para termos lucidez quando projetados.

Saber o que estamos fazendo, conseguir agir e interagir, isso é ter lucidez na projeção. E não adquirimos lucidez fora do corpo sem ter lucidez em nossa vida diária.

Se passamos o dia pensando no passado ou no futuro, nunca no momento presente, perdidos em pensamentos e devaneios, dificilmente quando estivermos fora do corpo vamos conseguir ter lucidez, porque lucidez é treino.

Por isso, citei a importância da atenção plena, pois ela traz todas as ferramentas que precisamos para desenvolver a consciência no aqui e no agora.

Então, reitero a importância de se perguntar constantemente: Onde estou? O que estou fazendo agora? E responder para si mesmo essas questões.

Quando treinamos isso em nossa mente, ao estarmos projetados vamos nos fazer naturalmente essas mesmas perguntas e quando fazemos isso, imediatamente vem a lucidez de que estamos fora do corpo e em outra dimensão.

Por isso, incentivo tanto a prática da atenção plena, pois esse trabalho de lucidez começa no dia a dia, com nossa consciência no corpo físico.

Fazendo isso, quando nos projetamos, automaticamente, por um condicionamento mental, perguntamos onde estou agora? E a resposta será estou fora do corpo. Isso é lucidez.

ELEMENTO 4 – O CÉREBRO FÍSICO

Acabamos de falar sobre lucidez e agora vamos entender como essa lucidez é transferida para o cérebro físico.

Já sabemos que toda noite saímos do corpo físico, que toda noite nossa consciência se projeta, a pergunta então é, por que não lembramos? E a resposta é simples, porque precisamos treinar.

O cérebro é um aparelho que está conectado ao corpo físico, ele foi feito para captar a dimensão física e ele faz isso muito bem.

Mas quando projetamos, o que estamos tentando fazer é trazer informações de outra dimensão para esse cérebro físico.

Só que informações de outras dimensões possuem uma carga energética e de informações muito maior do que aquela que o cérebro físico consegue processar.

Por isso, na maioria das vezes em que trazemos uma experiência de fora do corpo para o cérebro físico, ele segue três possíveis padrões de comportamento.

Às vezes o cérebro mistura a experiência projetiva com sonho, também pode recortar um pequeno pedaço que conseguiu assimilar e trazer somente essa parte à consciência ou ainda simplesmente deixar a experiência no inconsciente.

Lembra, aqui na 3D temos uma vibração atômica lenta e é essa vibração que o cérebro físico consegue traduzir e identificar.

Só que quando fazemos a projeção estamos trazendo um nível de vibração muito mais rápida para um aparelho receptor que não tem esse alcance. Quando essa informação chega, o cérebro entra em pane.

E, como vimos, o que ele faz? Ou ele apaga essa informação, ou ele mistura com sonho, ou ele pega, por exemplo, 3 horas de projeção e traz para o consciente um recorte de dez segundos.

Nesse último caso, lembramos somente, por exemplo, dê um abraço em algum familiar fora do corpo, porque foi o que o cérebro conseguiu processar e mais nada.

Por isso, precisamos treinar o cérebro para que ele consiga pegar maiores quantidades de informação dessa experiência projetiva e trazer com mais clareza à consciência.

Claro, em 3 horas fora do corpo, dificilmente vamos conseguir lembrar de tudo, mas pouco a pouco vamos ampliando esse tempo, de segundos para minutos ou até mesmo para uma experiência inteira.

Nosso trabalho aqui é treinar o cérebro físico para captar cada vez mais informações dessas experiências.

E fazemos isso através de exercícios de energização do cérebro e dos chakras, que veremos mais à frente, mantendo a lucidez o tempo todo, a consciência calma e os medos sob controle.

Assim, sobra espaço para o cérebro físico processar as informações que trouxermos de outras dimensões.

Copyright do texto © 2021 Tibério Z

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste artigo pode ser reproduzida ou usada de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópias, gravações ou sistema de armazenamento em banco de dados, sem permissão por escrito, exceto nos casos de trechos curtos citados em resenhas críticas ou artigos de revistas.

ISBN nº 978-65-00-23711-5

o dinheiro é sujo

O dinheiro é sujo?

O dinheiro é sujo? Nesse artigo vamos refletir sobre quem é realmente o culpado por todas distorções no nosso planeta em relação a prosperidade.

Leia Mais »