melhorar a frequência vibracional
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

9 dicas para melhorar a frequência vibracional

Sempre me perguntam como melhorar a frequência vibracional e a essa altura acredito já ter ficado claro que essa é uma questão fundamental, que deveria ser prioritária em nossa vida.

Já sabemos que somos corpo, mente e espírito, e por isso não é possível aumentar a frequência vibracional sem que essas três partes estejam equilibradas.

Mas mesmo depois que conseguimos aumentar nossa frequência, temos que ficar constantemente prestando atenção nesse equilíbrio sutil e se, corpo, mente ou espírito, estiverem tendendo ao desequilíbrio, voltar a reequilibrá-los.

Por isso digo que manter a frequência energética alta é o trabalho de uma vida, requer desenvolver a auto percepção, a auto-observação e constantemente nos redirecionarmos a um lugar de maior equilíbrio para nós.

E a primeira parte que devemos cuidar é o nosso corpo físico. Por quê?

Nossa consciência está ancorada no corpo físico, ele é o primeiro filtro que temos para equilibrar nossa frequência energética, logo, se os níveis hormonais e a química geral do corpo estiverem desequilibrados será muito difícil harmonizar mente e espírito.

A segunda tarefa é equilibrar a mente, principalmente os pensamentos. Aprender a controlá-los, saber quais são os nossos pensamentos e quais não são, e principalmente, manter nosso foco no presente.

A terceira tarefa é o espiritual, que equilibramos nos conectando com o que há de divino em nós, seja a centelha divina, Deus, o vácuo quântico ou o que ressoar a cada um.

Essas práticas são sugestões, não são regras ou uma verdade, visto que cada organismo tem necessidades diferentes.

Compartilho com a intenção de trocar experiências e passar um pouco do que venho fazendo ao longo dos anos e tendo ótimos resultados.

Te convido a testar essas práticas e observar em si os benefícios de equilibrar corpo, mente e espírito.

Corpo Físico – Alimentação

Não cuidar do corpo é o mesmo que querer viajar em um carro com defeito.

Estamos cheios de planos, mas o carro engasga todo caminho e temos que parar de 5 em 5 minutos no acostamento, é claro que não vamos tirar o melhor proveito dessa experiência.

O carro tem que estar em ordem, assim como nosso corpo físico, para que a consciência possa se manifestar aqui da melhor forma possível.

Quando isso não ocorre, torna-se muito difícil para a consciência conseguir realizar tudo aquilo que ela quer realizar e ser feliz, porque os problemas físicos, são os primeiros que nos atingem diretamente.

Deixando claro que não estou falando de condições de nascença ou que estão para além do nosso controle, estou falando do que podemos melhorar dentro da nossa realidade, com vontade e dedicação.

Então, minha primeira sugestão para cuidar do corpo físico é rever a alimentação.

Diria que ela influencia uns 70% no equilíbrio do corpo físico, mas a sociedade ocidental, na verdade praticamente o mundo inteiro, porque isso já se globalizou, come muito mal.

Gosto de separar os alimentos em dois grandes grupos, os que nos dão energia física e os que nos roubam energia.

Na minha experiência existem três alimentos principais que roubam totalmente a energia do corpo físico, o glúten, o açúcar e o leite.

O leite um pouco menos, porque há uma variação grande de tolerância a ele, porém a questão é que o leite causa muita irritação no corpo. E quando o consumimos com frequência mantemos o corpo em um estado de alerta e despendendo energia para combater essa irritação.

Por uns 4 anos tive vários problemas estomacais sem descobrir a causa, quando cortei o glúten da minha alimentação, todos sintomas sumiram.

Isso me levou a refletir o quanto uma molécula é capaz de nos influenciar, antes não havia atentado para o tamanho do poder da alimentação no nosso dia a dia.

Recomendo que busquem estudos sobre a relação do glúten com a ansiedade e a depressão.

Para o corpo, o glúten geneticamente modificado que consumimos hoje, é uma molécula estranha. Ela não é digerida com facilidade, seria como comer sabonete e querer nutrir o corpo com isso.

Na evolução humana, o corpo aprendeu a digerir o glúten antigo, do trigo original que plantávamos. Então quando ingerimos o glúten atual, estamos colocando o corpo em estado de alerta, em um estresse digestivo que rouba toda nossa energia.

O terceiro alimento é o açúcar, que acredito não ser surpresa para ninguém estar nessa lista, visto que na sua versão refinada não possui nenhum nutriente e não traz benefícios para o corpo físico.

O açúcar promove um pico glicêmico logo depois que o ingerimos, como uma bomba energética, ficamos muito eufóricos, mas logo esse efeito passa e sentimos o oposto, uma depressão energética.

Só de vez em quando como queijo ou algo com açúcar, o glúten cortei completamente e na minha experiência, essas mudanças fizeram com que me sentisse com muito mais energia, além de melhorar muito minha saúde física.

Por isso, sugiro que você retire esses três itens da sua alimentação por mais ou menos um mês, como experiência para perceber como essa mudança afeta seu corpo físico.

O trabalho de aumentar a frequência energética é um trabalho de auto percepção, pois temos que estar o tempo todo nos percebendo física, mental e espiritualmente.

Recomendo que testem e comparem o antes e o depois. Observem como o corpo está hoje, a disposição, o ânimo, a ansiedade, a depressão, tudo e observem como vai ficar depois de não consumir esses três alimentos por um tempo.

Provavelmente se sentirão com mais energia, vivacidade e vontade de realizar. Mas sem esse processo de auto-observação é só discurso, é seguir o que eu falo na teoria, então coloque em prática, corte esses três alimentos e perceba seu corpo depois.

Se sentir que a ansiedade diminuiu, que se sente melhor, aí tome uma decisão a respeito, de eliminar ou não esses alimentos da sua vida.

Outro exercício é trazer consciência para o que estamos comendo, prestar atenção nos alimentos que decidimos ingerir e depois de cada refeição se perguntar se esse alimento nos trouxe paz ou se esse alimento nos deixou ansiosos.

A partir daí montamos uma lista, baseada em todas as refeições, colocando à esquerda os alimentos que sentimos trazer energia e à direita os alimentos que sentimos roubar energia.

Esse exercício é um trabalho de atenção plena e autoconhecimento, pois nos ajuda a perceber o que comemos que nos faz bem, nos deixa tranquilos, traz uma boa noite de sono e favorece nosso trabalho ou o que nos deixa lentos, moles e sem ânimo.

Nem sempre percebemos que esse é um processo individual, porque algo que atrapalha um organismo pode não atrapalhar outro.

Incentivar nos clientes o autoconhecimento é importante pois muitas vezes consumimos alimentos por hábito ou vício e não porque são a melhor escolha.

Portanto, indiquem e façam o teste de cortar o glúten, o açúcar e o leite, vejam o resultado e tomem a decisão que mais os beneficiará.

Corpo Físico – Atividade Física

O segundo exercício que sugiro para o corpo físico, com a finalidade de aumentar a frequência energética, é praticar atividade física.

Nada na natureza está parado e podemos usar essa lei natural a nosso favor, pois movimentar-se faz com que o chi, a energia, flua melhor por nós.

Às vezes temos pontos no corpo físico onde a energia está emperrada, simplesmente porque não estamos em movimento.

A atividade física regula quase toda a química do corpo, além disso, quando não nos exercitamos, o sistema linfático e o sistema circulatório tendem a acumular uma maior quantidade de sujeira biológica.

Na minha experiência, quando sinto minha frequência baixa, vou correr e fazendo isso em poucos dias já observo uma grande melhora.

Há uma ideia de que precisamos ir para um retiro espiritual para elevar nossa vibração, mas na maioria das vezes, fazer atividade física já é o suficiente.

Normalmente o corpo está tão cheio de impurezas e a química cerebral tão desregulada, que o exercício físico age como uma “faxina” no sistema, melhorando e muito nossa vibração.

Por isso, costumo sugerir um tempo de teste inserindo alguma atividade física de modo regular na rotina e então se isso funcionar, decidir levar como um hábito fixo ou não.

Indico que o tempo de teste seja de um a dois meses, com atividades três a quatro vezes por semana. Dentro daquilo que se gosta de fazer, academia, corrida, dança, o que for.

O exercício não deve ser uma obrigação, aliás nada na vida deve. Se realizarmos com prazer, conseguiremos ser mais consistentes e colher os benefícios mentais de se estar fazendo algo que gostamos, além dos benefícios físicos, é claro.

Não estou dizendo que será fácil, principalmente no início e se estamos sem praticar exercícios há muito tempo, pode ser bem desafiador sair da zona de conforto.

Mas é aquela história do remédio, se sabemos que nos faz bem, temos que tomar apesar do gosto amargo. Encare como o remédio do dia, um grande remédio natural e sem efeitos colaterais, mesmo que seu cérebro relute te mostrando o quão confortável está no sofá.

Foque no quanto a mais de saúde, disposição e elevação da frequência energética isso te trará.

Depois de dois meses de atividade física, reavalie seu corpo, observe o antes e o depois, verá que é incomparável, parece que estamos vivendo dentro de outro corpo, com outra disposição e clareza mental, com níveis químicos cerebrais muito melhores e seus inúmeros benefícios já atuando em nossa vida. Daí é só decidir se manterá isso ou não.

Corpo físico – Acorde Cedo

O terceiro exercício que recomendo como forma de melhorar a frequência do corpo físico é acordar cedo. Nas medicinas antigas, como a Chinesa e a Ayurvédica é descrito a existência de um relógio biológico que regula nossas atividades de sono, vigília, alimentação e outras.

Nessas medicinas somos orientados a buscar o equilíbrio corporal através de nossa natureza básica.

Elas ensinam que às 22:30h devemos já estar descansando, porque a partir desse momento o corpo começa a liberar substâncias regenerativas e a fazer uma limpeza no sistema físico.

Mas se ainda estamos ativos, acordados, perdemos essa oportunidade, renunciamos a uma importante parte do nosso processo de autor regeneração.

Além disso, se dormimos tarde e acordamos cedo rotineiramente, passamos o dia inteiro com sono, com pouca energia.

Por isso, sugiro que durmam e acordem cedo, segundo a medicina chinesa, o melhor horário para se acordar é quando o sol nasce, de modo geral, recomendo uma 6:30h da manhã.

Algumas pessoas argumentam que não tem o que fazer de manhã tão cedo, nesses casos sugiro aproveitar esse momento para meditar, praticar uma atividade física, escrever um caderninho de objetivos, fazer uma oração do perdão, estudar, ler, enfim.

Tenho certeza de que em pouco tempo essas horas a mais de manhã ficarão pequenas para tudo que você vai querer realizar.

Faça o teste de acordar às 6:30h da manhã e dormir às 22:30h. Depois de um ou dois meses perceba seu corpo, como era antes dessa prática e como ficou depois.

Inclusive, grande parte dos casos de insônia são de pessoas que dormem e acordam muito tarde, pois isso desregula o relógio biológico, elas estão sempre lutando contra sua natureza sem perceber.

Quando acordamos às 9h da manhã, por exemplo, geralmente, só vamos ter sono meia-noite. Mas se acordamos às 6:30, às 21:30h já estamos com sono e querendo ir para cama.

Claro, existem pessoas que mesmo acordando cedo, custam a dormir à noite por causa do excesso de pensamentos, mas nos exercícios da mente vamos aprender a lidar melhor com isso.

Até agora vimos como três práticas, se alimentar melhor, fazer atividade física e acordar cedo, são responsáveis pelo equilíbrio da nossa química corporal e apesar de poderem ser difíceis de implementar, com certeza valem o esforço.

Elas aumentam nossa frequência física, nos devolvem o bem-estar e a vontade de realizar. E ainda temos os outros dois elementos, mente e espírito, que veremos a seguir.

Curso de atenção plena-mindfulness

Mente – Atenção Plena

Nesse quarto exercício para aumentar a frequência energética, já entrando na segunda área de equilíbrio que é a mente, trago uma prática que considero fundamental, Atenção Plena ou Mindfulness.

Basicamente, a atenção plena explica que constantemente nossa mente está revivendo o passado, gerando culpa ou tentando viver o futuro, gerando ansiedade.

A atenção plena oferece técnicas para trazermos a mente para o tempo presente, que é o único momento que realmente importa.

Pode parecer impossível, pois sentimos como se os pensamentos fossem indomáveis, mas é apenas questão de treino.

Devemos começar com pequenos objetivos e ir expandindo essa presença para outras áreas da vida conforme vamos nos acostumando a controlar a mente.

É função do cérebro produzir pensamentos sem parar, assim como o pulmão respira e o coração bate, então a questão não é parar os pensamentos, isso não existe, não conseguimos parar os pensamentos assim como não conseguimos escolher parar de respirar.

A questão é controlar o pensamento, desenvolver nossa capacidade de controlar o que se pensa.

Devemos escolher eliminar os pensamentos que diminuem nossa frequência e fazemos isso não tentando acabar com eles, não dando atenção a eles.

Nossa mente é viciada em produzir pensamentos negativos e temos uma tendência de enfatizá-los, por isso que é mais fácil nos apegarmos a uma crítica, do que a dez elogios.

Na atenção plena nos perguntamos se esse pensamento aumenta ou diminui nossa frequência energética.

Claro, precisamos estudar e praticar, pois requer tempo sedimentar esse hábito. Mas treinamos para triar os pensamentos, discernir se eles constroem ou destroem, contribuem ou atrapalham, elevam ou rebaixam.

Se a resposta for negativa, então ignoramos esse pensamento, não damos atenção a ele, não deixamos que ele se desenrole na mente, simplesmente deixamos ele passar.

Se a resposta for positiva, então damos atenção a esse pensamento, deixamos frutificar.

Esse é um trabalho mental de sempre se colocar no tempo presente como observador, sermos observadores dos nossos pensamentos.

Os pensamentos virão, isso não podemos evitar, mas podemos escolher quais vamos deixar crescer em nossa mente.

Aqueles que não queremos, ignoramos e então uma hora eles vão sumir sozinhos, aqueles que queremos, deixamos desenvolver.

Somos o senhor da nossa mente e não a mente ou os pensamentos são o nosso senhor.

Não devemos viver à mercê do que o cérebro produz, somos a consciência que escolhe o que vai frutificar ou não.

Os pensamentos são como sementes, as que semeamos frutificarão, sejam boas ou não para nós, por isso precisamos escolher a semente certa e fazemos isso permitindo que um pensamento se desenvolva ou não em nossa mente.

Vou indicar outro exercício que não exige estudo prévio e pode ser usado a partir de agora, que é o cancela.

Comentei sobre ele quando falamos sobre vícios de pensamento, mas vou reforçar porque ele realmente faz a diferença.

A técnica do cancela consiste em prestar atenção constante aos pensamentos e quando surgir algum que não é desejado, que é prejudicial, imediatamente dizer cancela.

Veio um pensamento que não quer cultivar, diga mentalmente cancela, cancela, cancela e faça isso quantas vezes forem necessárias durante seu dia.

Esse processo provavelmente vai te mostrar duas coisas, a primeira é a quantidade de pensamentos negativos que produzimos, é assustador.

Quando comecei a fazer esse exercício, ficava praticamente o dia inteiro falando cancela, foi assim que percebi que produzia muito lixo mental.

A segunda é que a mente é treinável, quando nos habituamos a dar o comando cancela, é como se colocássemos um freio automático na mente.

No começo, a mente não leva tão a sério, mas com o tempo ela vai associando o cancela com uma ordem que deve ser obedecida.

Ao longo do tempo o fluxo de pensamento negativo diminui, justamente porque a mente aprende que tipo de pensamento é bem-vindo e qual não, mas claro, precisamos fazer esse esforço consciente de ensiná-la.

Mente – Meditação

O segundo exercício para aumentar a frequência energética da mente é a meditação.

Mas eu sei que talvez você esteja saturado de pessoas indicando a meditação e sinta que não é para você, que já tentou e não conseguiu, mas te convido a continuar comigo e ver que meditar é muito mais simples que imagina.

É comprovado cientificamente que a meditação traz inúmeros benefícios ao corpo e a mente, entre eles, os principais são a melhora do foco, a regulação das taxas químicas cerebrais e o silêncio interior.

Esse silêncio interior é muito importante porque através dele emergem os arquétipos, as imagens e programações negativas que estão escondidas em nosso inconsciente.

Muitas pessoas acreditam que um grande meditador é aquele que anula os pensamentos, vai para a quinta dimensão, vê coisas maravilhosas e volta, mas não.

Meditar é muito mais simples que isso, só precisamos ficar em silêncio e deixar os pensamentos se desenrolarem sem se apegar a nenhum deles. É como ver um filme, você se senta e apenas observa.

Com o tempo começam a vir pensamentos da infância, imagens guardadas no inconsciente que nem lembrávamos, associações que fizemos, todo lixo que está no inconsciente vem para o consciente.

Considero esse o maior benefício da meditação, porque todos temos programações negativas que fizemos ao longo de nossas vidas que nos limitam e afetam de inúmeras formas.

Às vezes, essas programações inconscientes nos levam a agir de uma forma que não entendemos e isso traz uma sensação de incoerência que pode ser muito angustiante, porque racionalmente agiríamos de forma diferente.

A terapia também é uma ótima ferramenta nesse processo de autoconhecimento e recomendo a associação das duas técnicas quando possível.

A meditação puxa imagens que nem lembrávamos, mas que estão lá no inconsciente guardadas, quando as trazemos para o consciente conseguimos começar a associar os sentimentos e ações que temos hoje com essas situações passadas que por algum motivo não foram bem interpretadas em nosso sistema.

Tornando essas imagens conscientes podemos trabalhar a questão, pois só conseguimos resolver um problema sabendo qual é o problema, não podemos resolver algo que nem sabemos o que é.

Ainda hoje, e eu medito desde meus 15 anos, vem um fluxo de pensamentos enorme e alguma imagem da minha infância que nem lembrava.

Quando isso ocorre, muitas vezes só pelo fato dela se tornar consciente, desfaz todo laço energético que estava preso no inconsciente.

Não vamos nos aprofundar nas técnicas de meditação, pois não é nosso foco aqui e eu possuo um curso onde só falamos disso, mas garanto que existem muitos de tipos de meditação e com certeza uma delas vai ser boa para você.

Aqui vou ensinar uma meditação simples e esse é o exercício que proponho que façam, para isso reservem dez minutos por dia para meditar.

Apenas sentem em algum lugar quieto, que não vão ser incomodados, fechem os olhos e simplesmente prestem atenção na respiração. Inspirem e expirem, só isso.

Quando vier pensamentos, e provavelmente virá um fluxo enorme deles, não tente controlá-los, não tente parar de pensar, apenas observe-os como se estivesse assistindo televisão.

Apenas sente, jogue sua atenção para a respiração e deixe os pensamentos fluírem, deixe a mente descarregar essas imagens. Pense no cérebro como um computador que está descarregando sua HD.

Não emita opiniões ou julgamentos sobre o que a mente lança, apenas continue observando.

Essas imagens aparentemente aleatórias puxam uma à outra e esse processo nos dá oportunidade de entendermos como os pensamentos funcionam, como nós funcionamos, a desenvolver a auto percepção, curar traumas e liberar pesos que não precisamos mais carregar.

A meditação é uma ferramenta incrível, não é à toa que é usada a milênios por diversas culturas e até a ciência se rendeu aos seus benefícios.

Dê essa oportunidade a si mesmo e incentive seus clientes a fazê-lo, com dez minutos de meditação diária já começamos a observar as mudanças positivas acontecendo.

Mente – Alimente-se de Bons Pensamentos

O terceiro e último exercício para aumentar a frequência energética da mente é simples e muito importante, alimentar a mente de coisas boas, de alegria e prazer.

Para muitas pessoas um hábito comum é depois do trabalho, sentar-se em frente à TV e assistir ao jornal.

A maioria delas acredita que estão apenas se informando sobre o mundo, mas será?

Grande parte das notícias dos jornais estão relacionadas a crime, violência, morte, doença e nem percebemos esse padrão tão baixo.

Quando fazemos disso algo corriqueiro, estamos através dessas notícias alimentando nossa mente com medo, raiva, angústia e inevitavelmente entrando nessas frequências.

Nesse ponto, você já deve ser capaz de deduzir que entrando nessas frequências, atraímos justamente mais medo, raiva e angústia.

Por isso, assim como a alimentação física é importante para o corpo físico, a alimentação mental é importante para a mente.

Não estou dizendo que precisamos nos alienar, mas precisamos sim questionar o hábito de consumir tragédia diariamente.

A vida não precisa ser tão pesada, muitas vezes não nos permitimos rir, estar alegres ou felizes.

Mas a verdade é que podemos soltar nosso lado humorista, infantil, fazer piada de tudo, porque no fim, se levamos as coisas muito a sério, travamos.

Um caminho para a leveza é simplesmente escolher alimentar nossa mente de coisas mais leves.

Escolhas simples como um filme de comédia em vez de um drama, um livro inspirador ou uma música alegre, mas é fundamental escolher ativamente o que eleva a nossa frequência, porque se deixarmos a mídia alimentar nossa mente, muito provavelmente será de coisas negativas.

Isso não é à toa, existem interesses nas pessoas se alimentarem, tanto fisicamente, quanto mentalmente, de coisas negativas.

Não esqueça, não é fácil dominar pessoas felizes, mas é fácil dominar pessoas infelizes e com medo.

Portanto, desligue-se de tudo que for alimentar negativamente a sua mente e isso vale para pessoas.

Questione quem são as pessoas que deixam o dia mais leve, feliz e quem são as pessoas que nos fazem sentir mais pesados e tristes.

Claro, cada um tem o direito de ser o que é, de ver o mundo de forma negativa se quiser, mas é nossa a escolha conviver com essa pessoa ou não.

É nossa escolha ter por perto pessoas que azedam nossos planos, que são negativas, que só falam de violência, pobreza e doença. O que essa pessoa está nos dando de alimento mental?

É o mesmo que alguém nos convidar para jantar e nos servir veneno em vez de uma refeição gostosa.

Para quem mora ou trabalha com pessoas assim e não consegue evitá-las, minha dica é ignorá-las.

No dia a dia não é fácil, não somos Budas e me incluo nisso, não pensem que não me vejo falando coisas negativas ou me abalando pela negatividade de outra pessoa.

Para todos nós o planeta Terra é um grande treino, mas para que seja um treino consciente precisamos saber que é nossa escolha deixar de dar atenção ao negativo e dar ao positivo.

Como incentivo nesse caminho, sugiro o exercício de reservar um tempo diário para abastecer a mente de coisas boas, alegres e prazerosas.

Seja uma atividade que goste, um livro com ensinamentos ou uma temática leve, filmes ou séries de comédia, um vídeo inspirador no Youtube, um podcast, pelo tempo que você tiver disponível, seja dez, quinze minutos.

Passe a encarar tudo o que ouve, lê e assiste como um alimento para sua mente e busque encaixar na sua rotina momentos de nutrir a mente com coisas boas.

E principalmente, comece a se afastar de pessoas negativas, sem julgamentos, novamente falo, cada um tem o direito de ser como quer, mas temos o livre-arbítrio de ficar com aquilo que a pessoa está nos dando ou não.

E se afastar não é só fisicamente, muitas vezes será não dar abertura para conversas em que a pessoa descarregará todo lixo mental dela em cima de nós.

Nessas situações se tiver como escapar, escape, peça licença e vá saindo de cena.

Quando não tiver a opção de ir embora, apenas concorde com tudo que a pessoa falar, internamente mantenha suas ideias intactas e siga sua vida normalmente.

Guarde para você seus objetivos, não busque aprovação alheia para tudo o que faz e lembre-se, você é o mestre de si.

Espírito – Procure ajuda

Conversamos anteriormente sobre como elevar a vibração energética através do corpo e da mente, agora chegou a vez do espírito.

Nesse sétimo exercício proponho que quando nos sentimos fracos energeticamente, sofrendo ataques extrafísicos constantes, devemos procurar ajuda espiritual.

Às vezes precisamos que outras pessoas cuidem de nós, pois se trabalhamos nossa parte física e mental, mas continuamos com uma energia densa, pode ser sinal que alguém que veja além da materialidade possa atuar na questão.

Essa pessoa pode ser um médium, pastor, padre, não importa quem e onde, pois o lado espiritual não tem religião, os seres de luz atuam onde haja alguém buscando ajuda.

Não devemos subestimar a influência do mundo extradimensional em nós, podemos ter implantes astrais, larvas astrais, obsessores e encostos, além disso, não sabemos os inimigos que temos de outras vidas e os fluxos de energia pesada que mandam para gente.

Por isso, buscar ajuda é importante, seja de um terapeuta holístico, um centro espírita, um centro de umbanda, igreja ou templo.

Existem muitas pessoas que tratam para além da matéria e podem nos ajudar a aliviar a carga que estamos suportando.

Pessoalmente, passei muitos anos com uma certa mania, não vou falar qual é, mas, por fim, fui em um local em São Paulo, da Mônica de Medeiros, que faz a retirada de implantes extrafísicos.

Fiz a retirada do implante, um mês depois a mania simplesmente desapareceu.

Compartilho isso para que vejam como às vezes as coisas estão mais relacionadas do que imaginamos. Então cuide do corpo físico e do corpo mental, mas também do espiritual.

Claro, não devemos ficar dependentes de médium, religião ou terapeuta holístico, eles são como o mecânico para o carro, se o motor do carro está falhando, o mecânico abre os pistões, limpa a graxa e coloca o carro para andar de novo.

Mas depois disso o motorista tem que cuidar do carro, não pode precisar ir toda semana no mecânico para que o carro ande, por isso a importância dos cuidados com o corpo e a mente que vimos anteriormente.

A terapeuta holístico limpa e reorganiza nosso sistema energético, mas é nossa responsabilidade manter e melhorar, ou do nosso cliente caso sejamos nós o terapeuta holístico.

Procurem ajuda energética e espiritual, não achem que não existe influências extradimensionais e não ignorem a saúde espiritual.

E pensem, se existe seres no planeta Terra que conseguem lidar com a energia e usar isso a favor de outras pessoas, é porque o Criador quis que ajudássemos uns aos outros nesse sentido, pois é mais fácil aumentar a frequência energética com ajuda do que sozinho.

Espírito – Perdão

O perdão é a segunda prática para elevar a frequência espiritual e a considero fundamental para termos resultados visíveis.

Grande parte do que sentimos de negativo é mágoa, raiva, ódio, rancor, coisas que aconteceram em nossa vida e que somos incapazes de perdoar, mas sem o perdão muita energia fica travada em nós.

Quando não perdoamos é como se carregássemos um saco de pedras com todas essas emoções densas, mas quando perdoamos, largamos essas pedras pelo caminho e podemos seguir mais leves.

Mas é importante entender que perdoar não tem a ver com agradar a Deus e ser uma boa pessoa, isso pode ser uma consequência, mas não precisamos perdoar por isso.

Perdoar é uma questão de sobrevivência, é uma escolha estratégica, porque o que está feito, está feito, não podemos mudar, então temos duas opções, carregamos isso até o fim da vida, pagando o preço de ter essa energia densa nos puxando para baixo ou perdoamos e seguimos mais leves nosso caminho.

Porque é impossível aumentar a frequência energética cheio de rancor, mágoa e ódio, não dá.

Lembra quando expliquei o conceito de matéria e antimatéria? Esses sentimentos são energia densa, antimatéria, que nos puxam para baixo energeticamente.

Por isso digo, o perdoar é espiritual, mas é estratégico, uma questão de sobrevivência.

No início é sim um desafio e precisamos exercitar o perdão assim como fazemos com o resto na vida se queremos fazer bem-feito.

Um dos melhores exercícios de perdão é uma técnica havaiana milenar, chamada ho’oponopono.

Basicamente, identifique uma pessoa ou situação que você sinta que precisa perdoar, então feche os olhos e coloque-a mentalmente na sua frente e fale sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grato.

Repita esse mantra em voz alta ou mentalmente, quantas vezes sentir que deve.

No começo pode ser difícil e soar falso, mas insista. E tenha em mente que vai precisar persistir nesse exercício de liberação até sentir que realmente perdoou.

Por isso recomendo que separe um momento do seu dia, todos os dias, para praticar o ho’oponopono.

Quando o perdão ocorre, todos os laços energéticos negativos que te prendiam àquela situação vão se desfazer e aí a frequência energética vai subir.

Tudo isso é um aprendizado de entendermos que as pessoas possuem níveis de consciência variados, muitas vezes alguém nos faz algo sem a intenção ou a percepção do mal que está fazendo.

Outras vezes fazem sim com a intenção de machucar, mas o nível consciencial delas é tão baixo que acreditam que tudo bem prejudicar o outro para obter algum benefício para si.

Essas pessoas não entenderam, nem no nível mais básico, que não existe separação e que, portanto, prejudicar o outro é prejudicar a si mesmo, mas é o momento de evolução delas e não devemos julgar.

Por exemplo, se um dia uma cobra nos picar, não faz sentido ficarmos com mágoa, julgando e amaldiçoando a cobra, é da natureza dela picar. Vamos então tratar nossa ferida e seguir a vida.

Mas sabendo que aquela cobra pica vamos nos manter afastados, simples assim.

Ficar bravo com a cobra e carregar isso até o fim da vida passa a ser um problema nosso, nós estamos escolhendo carregar essas pedras, mas elas são desnecessárias.

Perdoar não quer dizer se colocar à disposição para que o outro nos magoe novamente, na verdade, ser continuamente machucado pelo outro é um sinal que estamos cuidando pouco de nós mesmos.

Quero passar outra técnica de perdão, pois existem várias e podemos usar a que mais nos identificarmos.

Nessa técnica criamos mentalmente um local acolhedor, pode ser uma sala, um parque, uma praia e imagine que você e a pessoa que quer perdoar estão caminhando uma em direção à outra.

Quando ficarem de frente, se abraçam e peça perdão a ela, exponha seus sentimentos.

Inicialmente pode parecer falso, mas com o tempo vai se tornar uma realidade, um dia sentirá no coração que perdoou, então será uma pedra a menos para carregar.

Espírito – Ajude o mundo

Ajude o mundo é o nosso último exercício para aumentar a frequência energética, porque existe uma regra bem simples no universo, toda vez que ajudamos, ganhamos matéria e toda vez que prejudicamos, ganhamos antimatéria.

Do ponto de vista biológico, toda vez que ajudamos liberamos neurotransmissores do bem e toda vez que prejudicamos baixamos esses níveis químicos no cérebro.

Portanto, minha sugestão é que sintam isso na prática ajudando todo mundo que for possível por um mês.

Porém alerto, ajudar não é ser bobo, as pessoas tendem a explorar as outras, mas não se deixe explorar.

Ajude naquilo que puder e quando a ajuda for bem-vinda, porque sim, tem muita gente que não quer ser ajudado e é preciso respeitar.

Ajude nas pequenas coisas, em gentilezas como segurar a porta do elevador para alguém e dar a vez para outro carro no trânsito.

Observe as pessoas à sua volta, seus amigos, familiares, colegas de trabalho e veja se alguém precisa de algo que você tenha a oferecer, não necessariamente algo material.

Nesse um mês se proponha a ajudar o máximo e a atrapalhar o mínimo. Depois perceba como o entorno começa a mudar, os relacionamentos e o humor melhoram.

Para quem sente estar deprimido, em casos mais severos, além de buscar ajuda psicológica, recomendo muito que entre como voluntário em alguma causa social por uma ou duas vezes na semana.

Sempre há algo que podemos contribuir, seja entregando alimento a moradores de rua, levando agasalhos ou usando a própria profissão para ajudar.

Por exemplo, se é professor, entrar em uma ONG e dar aulas gratuitas, se é artista, oferecer uma oficina a pessoas em vulnerabilidade social, se é pedreiro, ajuda a construir casas em algum projeto social ou para animais.

Pode exigir bastante fazer esse primeiro movimento de sair da zona de conforto e ajudar, vale muito à pena, observe o antes e o depois de um dia de trabalho em prol do outro e entenda na pele o que estou falando.

Ajudando, percebemos que existem pessoas em condições muito piores que a nossa e nos sentimos úteis, além disso, ajudando aumentamos nossa conexão com o Divino.

Na minha experiência, gosto de falar e ensinar, por isso ajudo através de aulas, palestras e conhecimento gratuitos.

Essa é minha forma de contribuir e é um prazer fazê-lo, cada vez que vejo que ajudei alguém, me sinto muito bem e mais conectado. Sinto o negativo sendo desfeito pelo positivo.

É importante escolher algo que gostamos de fazer, pois o prazer da própria tarefa vai nos impulsionar a realizar mais.

Mas pode ser qualquer coisa, o mundo precisa de todo tipo de ajuda, a causa precisa apenas fazer sentido para nós.

Quando nos engajamos fazemos novas amizades e temos o prazer de ajudar o outro, que contribuirá e muito na química corporal, na frequência mental e espiritual.

Para concluir, essas nove práticas são parte da minha experiência pessoal, quando percebo que minha frequência energética está caindo, revejo esses nove itens para descobrir qual está em desequilíbrio.

Falo isso, para ficar claro que não é um caminho estável, tem altos e baixos, a vida acontece e precisamos, sem culpa, rever o que foi descuidado e retomar aquilo que nos faz bem.

Espero ter ajudado ao compartilhar minhas práticas e lembre-se que o planeta precisa de pessoas com frequência alta, já temos um fluxo negativo muito grande.

Então se você puder contribuir com a sua frequência, fazendo o melhor que pode, legal, estaremos juntos fazendo um planeta melhor.

Bibliografia recomendada:
Copyright do texto © 2021 Tibério Z

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste artigo pode ser reproduzida ou usada de qualquer forma ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, inclusive fotocópias, gravações ou sistema de armazenamento em banco de dados, sem permissão por escrito, exceto nos casos de trechos curtos citados em resenhas críticas ou artigos de revistas.

ISBN nº 978-65-00-23711-5

Quer receber conteúdos exclusivos?

Preencha seu e-mail abaixo e receba artigos, e-books, datas de lives, novos cursos e muito mais:

A felicidade existe?
A felicidade existe? A felicidade existe e está mais perto do que imaginamos, mas a ilusão da matéria, de poder, de ser melhor que o outro nos impende de conseguir vê-la.
o que é o amor
O que é o amor
O que é o amor é um conceito pouco compreendido pelo ser humano. O amor que conhecemos é o amor do Ego, mas, o Ego é incapaz de amar.
quem é Deus
Quem é Deus
Nesse artigo vamos refletir sobre quem é Deus e como nossos paradigmas sobre essa realidade podem atrapalhar completamente nossa vida.
O que é ser terapeuta holístico
Nesse artigo vamos refletir sobre o que é ser terapeuta holístico e como ele pode ajudar as pessoas no seu equilíbrio físico, mental e espiritual.
larvas astrais e implantes energéticos
Larvas Astrais e Implantes energéticos
Larvais astrais são seres que se alimentam da energia densa em nosso corpo energético. Implantes energéticos são aparelhos implantados no nosso corpo energético para nos ajudar ou prejudicar.
Arquétipos
O que são arquétipos
A compressão dos arquétipos é fundamental para compreender as programações básicas que sua mente e sua vida estão alinhadas.

Quer receber conteúdos exclusivos?

Preencha seu e-mail abaixo e receba artigos, e-books, datas de lives, novos cursos e muito mais: